quinta-feira, 5 de junho de 2008

Líder ianomâmi confirma a cobiça pela região

"Querem engolir a nossa terra"

Sergio Kapustan
O rico patrimônio escondido no subsolo da Amazônia atrai a cobiça de estrangeiros e brasileiros. A afirmação é do líder ianomâmi Davi Kopenawa ao comentar ontem o vídeo exibido na internet, em que o maior indigenista brasileiro, Orlando Villas Bôas (1914-2002), antecipa a polêmica sobre a devastação e os conflitos na reserva Raposa Serra do Sol (RR), localizada na fronteira entre a Venezuela e a Guiana. A gravação foi feita há oito anos.

Entidades estrangeiras pressionam a ONU (Organização das Nações Unidas) para a criação de um País Ianomâmi. "A ameaça estrangeira e brasileira é real. Há gente de fora e aqui do Brasil – empresas mineradoras e fazendeiros, principalmente – querendo engolir as nossas terras para desmatar as florestas e explorar o nosso subsolo", declarou Davi.

No Brasil, os ianomâmis somam 15 mil índios em 255 aldeias. Em Roraima estão 197 delas. Ao norte do Amazonas, mais 6.510 pessoas, segundo dados de 2006 da Fundação Nacional de Saúde.

Na Venezuela, somam cerca de 12 mil distribuídos ao sul dos estados de Bolívar e Amazonas. As regiões brasileiras que eles ocupam têm no subsolo jazidas de minérios e metal ( veja ao lado os principais itens ). "O jogo na região é antigo e o nosso chefe grande – o presidente Luiz Inácio Lula da Silva – precisa mostrar coragem para que não destruam a Amazônia", cobrou o líder ianomâmi.

Em entrevista ao programa "Expedições", em 2000, Villas Bôas afirmou, em tom de anunciação, a fundação do estado Ianomâmi, entre Brasil e Venezuela, com apoio dos Estados Unidos e até da ONU.

Tanto interesse estaria justificado pelas reservas de urânio, entre outras riquezas, enterradas em solo indígena. Vários índios teriam sido enviados aos EUA para aprender inglês e preparar a criação de "um estado desmembrado".

Davi Kopenawa confirmou que ele foi um dos que viajou aos EUA, mas negou o objetivo político. Ele visitou diversos países, como a Inglaterra e a Alemanha, sempre convidado pela organização de defesa dos povos indígenas Survivors International. "Fizemos apenas contatos com autoridades e gente que apóia a nossa causa", afirmou Kopenawa.


Clique na imagem para ampliar

Seminário - Na terça-feira, dia 10, a Associação Comercial de São Paulo promove o seminário "A realidade da Amazônia – Soberania ameaçada, farsa ou realidade", com a presença de quatro especialistas no tema: general Luiz Gonzaga Lessa (ex-comandante da Amazônia), deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB), professor Denis Rosenfield (UFRGS) e o índio macuxi Jonas de Souza Marculino. O evento será no Clube Espéria, na avenida Santos Dumont, 1.313, Santana, às 10h. A entrada é franca
Diário do Comércio

.

Um comentário:

<> Gui <> disse...

olá
tudo beleza?

o blog ta show d bola.. curti bastante as materias que li

gostaria de saber se 'voce' tem gravado a série de reportagens que passou no JORNAL DA NOITE ( rede bandeirantes com Boris Casoy ) sobre a Amazônia ...

procurei pelo youtube mas foi em vão... nao achei nada...
se tivesse eu gostaria de baixar. abraço valeu